Mosteiro de Alcobaça, património mundial da UNESCO

A região de Leiria é rica em História. Uma destas marcas da História reside nos seus numerosos monumentos, que enriquecem a paisagem portuguesa. Um destes extraordinários monumentos fica na cidade de Alcobaça: o « Mosteiro Santa Maria de Alcobaça » ou « Real Abadia de Santa Maria de Alcobaça », visitado todos os anos por 250000 pessoas.

Mosteiro de Alcobaça, fachada principal

Mosteiro de Alcobaça, fachada principal

Vista da fachada

Vista da fachada

A grande rosácea

A grande rosácea

Estátua da fachada

Estátua da fachada

Pormenores da escadaria

Pormenores da escadaria

A vossa esquerda, o mosteiro. A direita, um edifício abandonado :(

A vossa esquerda, o mosteiro. A direita, um edifício abandonado 🙁

Foi o primeiro edifício de estilo inteiramente gótico a ter sido construído em Portugal. O mosteiro é obra dos monges da ordem de Cister, que começaram a sua construção em 1178, o que é relativamente pouco tempo depois da fundação da nação (1143): naquele momento, a Reconquista da península ibérica aos Mouros ainda não estava completamente acabada. O primeiro rei de Portugal, Dom Afonso Henriques tinha estabelecido o mosteiro em 1148. Em 1152, a obra para o mosteiro provisório começou, e iria dar lugar ao magnifico monumento que podemos ver hoje. Os monges tiveram um papel social de primeiro plano: criaram a primeira igreja publica em 1169.

Uma pequena pausa para admirar a igreja

Uma pequena pausa para admirar a igreja

Prédios do mosteiro

Prédios do mosteiro

A cidade e o mosteiro estão em harmonia

A cidade e o mosteiro estão em harmonia

Nota-se porque é património da humanidade

Nota-se porque é património da humanidade

A poderosa ordem de Cister tinha-se instalada em Portugal em 1144, e foi rapidamente a ordem mais poderosa do país e da Europa. O Mosteiro de Alcobaça contribui em muito para esse poderio, e reflecte os princípios da ordem, que se reclama do Beneditinos: ascetismo e rigor litúrgico, com o trabalho como valor cardinal.

As paredes externas precisariam de uma pintura nova...

As paredes externas precisariam de uma pintura nova…

A praça em frente ao mosteiro é agradável

A praça em frente ao mosteiro é agradável

Um dos meus pontos de vista preferidos do mosteiro

Um dos meus pontos de vista preferidos do mosteiro

O mosteiro atravessou as épocas, e conheceu muitas adversidades. Em 1810, com as invasões napoleónicas em Portugal, chefiadas por André Masséna, o mosteiro foi parcialmente incendiado. Acho engraçado que em Paris, existe uma avenida com o nome do Masséna. Masséna morreu imensamente rico, enquanto que Portugal mergulhou numa crise como nunca antes. Obrigado Masséna, mereces o teu nome numa avenida de Paris! Mas a maior adversidade para o mosteiro não foram as invasões napoleónicas, mas o fim das ordens religiosas em Portugal em 1833. Muitos mosteiros muito importantes conheceram nesta altura um destino fúnebre, totalmente abandonados, como foi o caso para o Mosteiro de Seiça, do qual já vos tinha falado antes.

Mosteiro de Alcobaça - porta do dormitorio

Fachada do dormitório do mosteiro

A rua foi refeita recentemente, o que valoriza o monumento

A rua foi refeita recentemente, o que valoriza o monumento

Ficamos a espera das próximas obras de restauro

Ficamos a espera das próximas obras de restauro

Fonte, contra a parede do mosteiro

Fonte, contra a parede do mosteiro

O exemplo de este abandono pode traduzir-se, imagino, pelo abandono actual dos prédios ao lado do mosteiro. Fazem visivelmente parte do mosteiro, mas já não são utilizados, nem postos em valor, como se pode ver nas fotos. Não há dinheiro que chegue para restaurar tudo, apesar do potencial destes edifícios ser fenomenal : quem não sonha de passar uma noite num antigo palácio? Porque não fazer algo destes prédios? O que me vêm à cabeça quando vejo a quantidade de belos edifícios ao abandono ao Portugal é uma grande frustração, e “é pena”, percebe-se porquê 🙁

Por detrás do mosteiro

Por detrás do mosteiro

Está tudo ao abandono. Adivinha-se o esplendor passado.

Está tudo ao abandono. Adivinha-se o esplendor passado.

é pena.

é pena.

Como no meu artigo anterior sobre o Mosteiro de Batalha, só mostro aqui o exterior mosteiro por enquanto, o interior se fará noutros artigos posteriores. O mosteiro é demasiado grande para fazer um simples resumo, e, acreditem, o interior vale mesmo a pena! Nem que fosse só pelos túmulos de Inês de Castro e Dom Pedro… mas isso fica para a próxima 😀

Um pombo deixa o mosteiro...

Um pombo deixa o mosteiro…

As paredes brancas reflectem a luz de Portugal

As paredes brancas reflectem a luz de Portugal

Fantásticos pormenores da fachada, com o brasão de Portugal

Fantásticos pormenores da fachada, com o brasão de Portugal

Estátua da fachada

Estátua da fachada

Foram plantadas árvores em frente ao mosteiro... será que não vão perturbar a vista quando crescerem?

Foram plantadas árvores em frente ao mosteiro… será que não vão perturbar a vista quando crescerem?

Um dos maiores cestos de basquetebol que conheço =D

Um dos maiores cestos de basquetebol que conheço =D

Tags: ,

2 comentários para “Mosteiro de Alcobaça, património mundial da UNESCO”

  1. castro dit :

    É muito curioso o seu comentário em relação ao estado a que deixamos chegar o nosso património, estou absolutamente de acordo consigo, gastamos tanto dinheiro em campos de futebol e depois deixamos neste estado o património da nossa história.
    E depois de tudo isto, você acaba com um comentário muito bizarro e de um completo retardado… “um dos maiores cestos de basquetebol que conheço”
    Sem dúvida que você merece o descuido em que se encontra o nosso património…
    Bem haja

  2. Jori dit :

    Obrigado pelo insulto e pelo pouco interesse que demonstra para o Mosteiro de Alcobaça. Ou seja, quando se fala do nosso patrimonio, temos que ser tristes e serios? Por isso é que as pessoas perderam o interesse!

    Ou talvez não conheça o significado de : =D

    Chama-se a isto um “smilie”, deixo-o procurar o que significa.

Deixar um comentário