Ponte Dom Luis no Porto, obra prima de metal

Quando vamos para o Porto, associamos logo a cidade com o Douro, este magnifico rio que serpenteia por entre as colinas verdejantes de Portugal, onde crescem as parreiras, tão celebradas no mundo inteiro devido ao seu vinho. Mas quem diz rio também diz pontes, que permitem aos homens de passar para o outro lado sem se molhar. A cidade do Porto possui varias pontes ligando-a à sua cidade irmã vizinha, Vila Nova de Gaia. Foram estas pontes que permitiram o rápido desenvolvimento de Vila Nova de Gaia, com as deslocações diárias dos moradores de um lado para o outro. Uma das mais belas pontes do Porto é a meu ver a ponte Dom Luís, que vamos aprender a conhecer, que seja pela sua história, ou pela sua arquitetura…

Ponte Luiz I.

Ponte Luiz I.

Antes do século XIX, os moradores dos dois lados do Douro atravessavam o rio na sua larga maioria, por barco. Só havia uma ponte construída sobre barcas, mas que não chegava de modo nenhum para satisfazer o forte aumento do tráfego que se fez sentir em todo o país com o início da Revolução Industrial e o grande desenvolvimento da economia portuguesa. Foi só em 1843 que a primeira verdadeira ponte construída para durar foi inaugurada, a Ponte Dona Maria Pia, mais conhecida pelo nome de “Ponte Pênsil”, ou seja ponte suspensa. Era uma ponte suspensa, como a alcunha indica, que ficava no sitio onde hoje está a nossa ponte Luiz I. Ainda se pode ver hoje os vestígios da Ponte Pênsil: são os grandes pilares que se pode ver junto ao principio da Ponte Luiz I, do lado do Porto.

Estrutura metálica do século XIX

Estrutura metálica do século XIX

Muralhas do Porto

Muralhas do Porto

A nova ponte de Dona Maria Pia tinha acabada de ser inaugurada que já em 1877, o tráfego estava saturado : era preciso, em urgência, uma nova ponte que viesse completar a travessia do Douro, e que pudesse acompanhar o grande desenvolvimento económico que a região conhecia então, com o estabelecimento de muitas fabricas. Em 1879, a decisão foi tomada de construir esta ponte suplementar. Um concurso foi aberto em 1880, ganho pela empresa belga “Société de Willebroeck“, em desfavor (entre outras) da empresa de Gustave Eiffel, que tinha já construído a ponte de Dona Maria Pia.

Antigos prédios degradados, juntos à ponte Dom Luís

Antigos prédios degradados, juntos à ponte Dom Luís

Vista da ponte sobre a cidade, património da humanidade

Vista da ponte sobre a cidade, património da humanidade

O engenheiro Théophile Seyrig

Na realidade, foi antes de mais François Gustave Théophile Seyrig que ganhou o concurso : ele já tinha sido engenheiro da Ponte Dona Maria pia, quando era sócio da empresa de Gustave Eiffel, “Eiffel Constructions Métalliques”. Este engenheiro, nascido em Berlim em 1843, tinha um sentido de estética apurado, bem evidente na sua obra, que seja na ponte Dona Maria Pia ou na ponte Dom Luís, que se parecem muito, como é claro. A construção de esta ponte metálica gigantesca começa em 1881, para ser inaugurada a 31 de Outubro de 1886, dia de anos do rei Dom Luís.

Os portuenses gostam de vir aqui passear, ao pé do Douro

Os portuenses gostam de vir aqui passear, ao pé do Douro

Tecnicamente, a obra é uma proeza : 3045 toneladas, em arco metálico, que passa por cima do Douro, sem pilares no meio, não estorvando em nada o trafego naval. A ponte têm dois tabuleiros de 8 metros de largura cada, um deles sendo suspenso, utilizado para a circulação automóvel e as pessoas a pé. A ponte em arco, que suporta o andar superior têm 395 metros de cumprimento, quando, no andar inferior, suspenso, a ponte só faz 174 metros de cumprimento. Hoje, o tabuleiro de cima é utilizado pela linha D do metro do Porto. Aquando da sua inauguração, a ponte permitia finalizar o grande projeto de ligar Lisboa às províncias do Norte de Portugal.

A Serra do Pilar, com o seu antigo mosteiro, hoje quartel

A Serra do Pilar, com o seu antigo mosteiro, hoje quartel

Ponte Dom Luis ou Ponte Luiz I ?

Alguns jovens gostam de saltar da ponte, para dar um bonito mergulho no rio, como pode ver no youtube se procurar um pouco. Sim é perigoso, sim, já houve mortes. Por enquanto, ainda ninguém salta do tabuleiro superior, só do tabuleiro inferior : o andar de cima está a mais de 40 metros de altura, saltar seria suicídio. A ponte é emblemática da cidade, e é raramente chamada pelo seu nome oficial. No Porto, toda a gente diz “Ponte Dom Luís“. Se olharmos o que está escrito na ponte, vemos que o que lá está é “Ponte Luiz I.”, que é o seu nome oficial, com um Z no fim, como se escrevia antigamente. A ausência de “Dom”, marca de respeito, deve-se, dizem, à ausência do rei Dom Luís na inauguração da ponte. Os portuenses, orgulhosos, não gostaram mesmo nada do que na altura tinha sido considerado como insultuoso. Devemos lembrar-nos que os portuenses tinham escolher honrar o rei, dando o seu nome à ponte, e que a partir desta data, decidiram não por a marca honorifica.

Fotos da Ponte Dom Luís

Nome da ponte : Luiz I.

Nome da ponte : Luiz I.

Pilar da antiga Ponte Pênsil

Pilar da antiga Ponte Pênsil

Largo de 8 m, podemos atravessar a pé, ao pé dos carros

Largo de 8 m, podemos atravessar a pé, ao pé dos carros

Vê-se ao fundo os pilares, vestigios da Ponte Pênsil

Vê-se ao fundo os pilares, vestigios da Ponte Pênsil

Mais de 3000 toneladas de metal

Mais de 3000 toneladas de metal

Tags:

3 comentários para “Ponte Dom Luis no Porto, obra prima de metal”

  1. Rosa Branca dit :

    Obrigada por esta página. Precisava de saber umas informações sobre esta construção e encontrei o que precisava aqui.
    Bom trabalho!

  2. Henruque dit :

    Gostei bastente do artigo.
    No entanto em sites não oficiais há a referencia à ponte pênsil como ponte Maria II e não Maria Pia. Mais do que isso há a referencia a que a justificação atribuida pelo vosso site à ausencia do “dom” é uma mera lenda.

    Se pudessem confirmar isso seria útil para todos 😉
    Obrigado

  3. edmilson silva dit :

    quando estive em Porto, em 2001 sempre passava no taboleiro superios e sentia balançar muito, fizeram reforço para suportar o metror

Deixar um comentário