Pastel de Nata nos KFC de França

O pastel de nata é para mim sem duvida um aspecto essencial da cultura portuguesa. Um doce que nunca tinha visto em mais nenhuma parte do mundo, um doce do qual tenho tantas saudades quando não estou em Portugal. Sendo luso-francês, é raro para mim encontrar em Paris pastéis de nata, mesmo se tenho algumas boas moradas. Qual não foi o meu espanto quando uns amigos disseram-me que tinham visto num KFC pastéis de nata na ementa, servidos como sobremesas! Eu tinha absolutamente que ir ver isso, mesmo se não sou assim grande apreciador da comida do KFC…

Para mim, sempre soube que se alguém tivesse a coragem de fazer um negocio com pastéis de nata no estrangeiro, ele faria fortuna. Isso provou ser verdade em Macau por exemplo, já lá voltaremos. O pastel de nata é uma delicia, acho que todo o português concorda com isso, com ou sem canela, conforme os gostos de cada um. Aqui em França, já tinha visto pastéis de nata à venda um pouco por ali ou acolá, como por exemplo numa padaria do bairro, ou num supermercado português ou naquele restaurante cujo dono é português : sempre de maneira confidencial, com uma forte comunidade portuguesa por perto como é o caso em Paris.

Sobremesas da ementa KFC, com o pastel de nata em baixo
Sobremesas da ementa KFC, com o pastel de nata em baixo

Qual não foi a minha surpresa quando amigos meus disseram-me que tinham visto num KFC aqui em França pastéis de nata à venda! Uma cadeia de restauração rápida que vende pastéis de nata, é a primeira vez que vejo isto. Isto sim vai fazer uma boa publicidade para Portugal, e fazer descobrir um pouco mais o que se faz de bom pelas terras de Camões. Mas esta visibilidade toda também traz uma grande responsabilidade para à KFC : o produto têm que ser bom! Se o pastel de nata servido nos KFC for de fraca qualidade, a publicidade passa à ser negativa. Eu tinha que verificar isso, e foi assim que fui ver pelos meus olhos esses pastéis de nata do KFC.

Guloso, tinha que ir pela embalagem familiar
Guloso, tinha que ir pela embalagem familiar

Antes de mais, um pouco de historia, para os mais distraídos : o pastel de nata têm a sua origem no Mosteiro dos Jerónimos. Quando o Mosteiro foi fechado em 1834 com a extinção das ordens religiosas, os clérigos do mosteiro começaram a vender pasteis numa loja perto do mosteiro. Toda a gente conhece hoje esta loja, os “Pastéis de Belém“, que conserva no segredo absoluto a receita dos pastéis de Belém. Os pastéis de nata são derivados destes pastéis originais, que hoje podemos comer em toda à parte em Portugal. Em Portugal, comemos habitualmente os pastéis ao pequeno almoço, ou para lanchar, com um café ou um galão. Raramente em sobremesa, eu pelo menos nunca. Em França, o hábito de ir a uma pastelaria tomar o chá com um bolo não existe, o que explica talvez a opção de servir o pastel de nata como se fosse uma sobremesa. Porque não, estamos aqui a falar de KFC, não de um restaurante de requinte.

Adoro este pequeno doce!
Adoro este pequeno doce!

Vamos lá então provar estes pastéis do KFC! Uma primeira dentada, uma primeira impressão: a pasta é boa, mas não é estaladiça, sinal de frescura. Vê-se logo que é um produto industrial, de qualidade mediana, como qualquer produto industrial. Mas em abono da verdade, não é pior nem melhor do que aquilo que podemos comprar num hipermercado em Portugal. Não esperava tanto de uma cadeia de fast food americana! Claro, não se pode estar acostumado aos pastéis frescos que se come numa boa pastelaria, mas sempre dá para enganar um pouco. A KFC fez portanto um bom trabalho.

Dá mesmo vontade de morder
Dá mesmo vontade de morder

KFC, ou Kentucky Fried Chicken é um dos maiores e mais antigos grupos de comida pronta do mundo. Fiquei mesmo feliz quando vi que a KFC tinha decidido por na ementa em sobremesa o pastel de nata, o que já faziam à vários anos em todo o sudeste asiático, graças a um australiano radicado em Macau. Para a historia, este australiano tinha conseguido obter a receita do pastel de nata de um chefe português, e abriu uma minúscula pastelaria em Macau, que servia pastéis ao gosto dos asiáticos, maior e mais enjoativo. O sucesso foi enorme, e a receita foi vendida à KFC, que a impôs no mercado asiático. Vamos ver se conseguem repetir esta historia de sucesso aqui na Europa, com desta vez o pastel “quase” original, mais ao gosto europeu…

Um comentário para “Pastel de Nata nos KFC de França”

  1. mario dit :

    gostava de saber se a uma vaga de trabalho

Deixar um comentário