Praia de Mira

Durante a nossa visita das praias ocidentais da costa da região Centro, visitamos a Praia de Mira. Esta praia têm, e com um orgulho merecido, a Bandeira Azul. Mas o que é a Bandeira Azul? Este galardão atribuído às praias de Portugal que respondem a determinados critérios de excelência, desde a qualidade da agua à limpeza da areia, passando pelos acessos para pessoas deficientes. Esta praia fica logo ao lado de outra praia excelente, a Praia da Tocha. No dia em que fomos a Mira, não estava sol, como se pode ver nas fotos, mas não faz mal, imagine um céu azul no lugar do céu cinzento, e pronto, fica com uma ideia da Praia de Mira como ela é os outros 364 dias do ano (exagero um pouco, mas não tivemos mesmo sorte nenhuma com o tempo…).

Praia de Mira
Praia de Mira
A Barrinha e no fundo a aldeia da praia de Mira
A Barrinha e no fundo a aldeia da praia de Mira

A Praia de Mira é muito similar à Praia da Tocha. Tal como na Tocha, era uma aldeia de pescadores, e como ela, a arquitetura local caracteriza-se pela presença dos “palheiros“, estas casas de madeira construidas pelos antigos moradores, modernizadas. Estas casas de madeira podem parecer estranhas, mas quando se sabe que na região não existe absolutamente nenhuma pedra ou pedreira, mas que existe imensos pinhais, com toda a madeira que isso significa, percebemos logo. A Praia de Mira fica no concelho de Mira, uma cidade distante de poucos quilómetros. Iremos lá um dia desses 😉

Belo contraste entre a casa antiga de madeira de pescadores e as construções modernas
Belo contraste entre a casa antiga de madeira de pescadores e as construções modernas
Acho que é preciso coragem para andar a fazer barco por esta neblina!
Acho que é preciso coragem para andar a fazer barco por esta neblina!

A vila da Praia de Mira têm muitas infraestruturas vocacionadas para o turismo, e que permitem a diversificação das actividades que lá se pode fazer. A principal diferença com a Praia da Tocha é a Barrinha, uma grande lagoa onde os veraneantes podem se divertir e andar de “gaivota”, aqueles barcos com pedais, impraticávéis num oceano como o Atlântico, mas que fazem todo o sentido na Barrinha. Eu não sei vocês, mas acho que nem experimentava andar nessas embarcações num mar onde existem ondas mais próprias para se fazer surf ou bodyboard!

Um antigo barco de pescadores para enfeitar a rotunda
Um antigo barco de pescadores para enfeitar a rotunda
Dizem que as construções modernas respeitam o meio ambiente... dizem
Dizem que as construções modernas respeitam o meio ambiente... dizem

A beira da areia e das dunas presentes em todo o lado, existe uma pequena capela de madeira, a Capela da Praia de Mira. Adoro esta capela. Ela foi construída por pescadores, como não podia deixar de ser, para agradecer a Deus após que um deles foi salvo milagrosamente dos azares da pesca no mar. Tudo nesta capelinha têm uma relação com o mar e à pesca, temos mais a sensação de estar num barco do que em terra firme! Visitar esta capela, sempre muito frequentada (também por pessoas que vêm rezar) é uma boa maneira de terminar o passeio nesta bonita praia, que têm tudo para ser um destino de férias ideal: restaurantes para aqueles que gostam de boa comida e de bom peixe, parques de campismo para aqueles que não gostam de gastar muito dinheiro em hotéis, e grandes parques de estacionamento gratuitos para aqueles que têm medo de não encontrar onde estacionar no meio do Verão 🙂

O pequeno barco de pesca na areia é o testemunho de esta actividade, sempre viva
O pequeno barco de pesca na areia é o testemunho de esta actividade, sempre viva

Fotografias da Praia de Mira

Só para dar mais vontade de vir ver esta praia fantástica, mesmo quando chove, aqui vão algumas fotos que não vos podem fazer mal 😉

No fundo, o museu etnográfico
No fundo, o museu etnográfico
Ciganos da Praia de Mira
Ciganos da Praia de Mira
Uma casa antiga toda coberta de azulejos, com a sua loja no rés-do-chão
Uma casa antiga toda coberta de azulejos, com a sua loja no rés-do-chão
Olhe por baixo da ponte, dois barcos de pesca, um às cores do FC Porto, e outro às cores do Sporting!
Olhe por baixo da ponte, dois barcos de pesca, um às cores do FC Porto, e outro às cores do Sporting!
Muita areia na praia de Mira, como se pode ver nesta rotunda
Muita areia na praia de Mira, como se pode ver nesta rotunda
Esta neblina não é razão que chegue para não bronzear
Esta neblina não é razão que chegue para não bronzear
Esta casa em ruínas era magnifica, mas foi construída na areia, o que é hoje proibido.
Esta casa em ruínas era magnifica, mas foi construída na areia, o que é hoje proibido.
Podemos ver um bonito painel de azulejos nas paredes desta casa em ruínas...
Podemos ver um bonito painel de azulejos nas paredes desta casa em ruínas...
Casas de madeira em ruínas à beira mar, na areia
Casas de madeira em ruínas à beira mar, na areia
Capela feita em madeira da Praia de Mira, com vista para o Oceano
Capela feita em madeira da Praia de Mira, com vista para o Oceano
Os santos convivem com as redes de pesca
Os santos convivem com as redes de pesca
Uma capela assim é coisa rara
Uma capela assim é coisa rara
Uma pequena reza antes de ir enfrentar estas férias tão difíceis :) !
Uma pequena reza antes de ir enfrentar estas férias tão difíceis 🙂 !
Mesmo que não pareça, estávamos em Agosto!
Mesmo que não pareça, estávamos em Agosto!

Tags:

5 comentários para “Praia de Mira”

  1. Ana Gomes dit :

    Lindo de morrer! Sempre para voltar ao nosso lindo Portugal.

  2. edgar fonseca dit :

    infelizmente, os palhaeiros da praia de Mira e outras praias estao em declinio pois os autarcas constroem edificios publicos, com estranhas formas e materiais, que nao sao proprios da nossa cultura ou clima e vesse o resultado passados apenas dois anos, quanto este tipo de palheiros duravam dezenas e as vezes seculos.

    Penso que podemos, renovar e melhorar as condicoes de vida das pessoas mantendo um estilo arquitectonico proprio.
    Aos portugueses que sintam a sua cultura masterizada ou adulterada, por favor queixem se, para que o nosso Portugal siga fantastico e cheio de coisas unicas.
    Um abraco a todos

  3. cristina Quiterio dit :

    vi o q escreveram acerca da Praia de Mira, esta tudo bem, apenas tenho duas correcoes a fazer, os ciganos nao sao da praia de Mira apenas estao la no verao para poderem vender, e a praia de mira nao é uma aldeia mas sim uma Vila …. d

  4. Maria Ribeiro dit :

    Fotografias muito bonitas, pena as casas que estão na areia não terem sido mantidas como apoio à praia, isto porque são de lá de raiz (penso Bem?).

    A capela é particularmente linda!

  5. Cristina dit :

    Manoel da Costa Patrão, Júlio da Costa Patrão, Manoel da Costa Patrão, João da Costa Patrão, Maria da Costa Patrão (esta ficou em Portugal). Vieram de Mira e deixaram parentes que ate hoje lá existem.
    mantendo ainda estreita relação com Mira, em Portugal, onde ainda existem Cias. de Pescas lideradas por nossos descendentes Manuel Maria Patrão e José Patrão. O escritor português Raul Brandão conta a história da família Patrão em um de seus livros.
    Na Argentina os “Costa Patrão” possuem grafia e sotaque espanhol: Costa Patron !
    O nome “Da Costa Patrão” nunca terá uma redação definitiva, completa, e, talvez nem sempre verdadeira. Dizem que um inglês mestre em armação de barcos de pesca, nas suas andanças pelo mundo, “deu às costas de Portugal” expressão muito usada na época. Como a pesca era um comércio extremamente vantajoso no país, alí permaneceu e iniciou a fabricação de barcos pesqueiros. Porém, os portugueses tinham dificuldade em entender a língua do inglês e passaram a se referir a ele como “patrão dos barcos”, aquele que deu às costas a Portugal. Surgiu daí os Costa Patrão. Casou como uma portuguesa e deu início a nossa família.

Deixar um comentário