Serra do Sicó, em Pombal

Isto é bem conhecido, por vezes não damos valor ao que fica mesmo ali ao lado, e vamos fazer quilómetros para ir ver o que os outros têm de bonito. Este comportamento é clássico, e tenho a certeza que sabem do que estou à falar. Existem alguns turistas que conhecem melhor a região de Leiria do que eu!

Desta vez, decidi ir visitar a Serra do Sicó, ao tempo que ouço falar nela. Nunca tinha lá ido “verdadeiramente”, apesar de ficar a escassos quilómetros da casa dos meus pais. A viagem valeu mesmo a pena! Já me tinham dito que esta zona de Pombal era muito bonita, mas sabem como é, quando é logo ali, a gente diz : “pode esperar”, ou “veremos um outro dia” ou pior, “não deve ser nada de assim tão especial”. Nada mais errado.

Um buggy nos caminhos do Sicó

Um buggy nos caminhos do Sicó

Parcelas delimitadas por muros de pedra

Parcelas delimitadas por muros de pedra

Paisagem de desolação, começando apenas a verdejar de novo após um incêndio

Paisagem de desolação, começando apenas a verdejar de novo após um incêndio

A Serra do Sicó, como o seu nome indica, é uma zona montanhosa, muito rochosa, que fica encostada à cidade de Pombal, facilmente reconhecível nos mapas de satélite: não há lá nada. As casas são raras, a região sendo principalmente conhecida pelas suas duas pedreiras, as suas oliveiras e pouco mais, a não ser talvez as suas eólicas e as antenas de telemóvel instaladas à poucos anos.

As pedreiras de Pombal

Máquinas de pedreira

Máquinas de pedreira

A Serra do Sicó têm duas pedreiras, facilmente identificáveis numa imagem de satélite pela sua brancura. Tira-se de lá pedra para fazer brita principalmente. São máquinas imensas que lá trabalham, desfigurando para sempre a serra, sem que exista uma solução alternativa: será sempre preciso construir casas! O pó das pedreiras transformam toda a natureza, que fica assim com um aspecto fantasmagórico, com estas oliveiras todas brancas.

Pedreira de brita

Pedreira de brita

Pó branco

Pó branco

As eólicas de Pombal

Em toda à volta das eólicas, a terra é vermelha

Em toda à volta das eólicas, a terra é vermelha

Portugal é um país que faz questão de desenvolver a sua independência energética utilizando as energias renováveis principalmente. Neste contexto, o país está coberto de barragens hidráulicas, de painéis solares e… de eólicas. A Serra do Sicó, em zona de vento que é, é um sitio ideal para acolher estas eólicas de grandes dimensões. Vêem-se à quilómetros de distância, mas acho que não nos damos conta até que ponto elas são grandes: é preciso estar ao lado para nos apercebermos do tamanho que elas fazem. Pelas minhas contas, devem fazer 50 metros de altura, sem contar as palas. Reparem nas fotos para verem, um homem parece insignificante ao lado! As eólicas até nem são muito barulhentas, visto o tamanho, apenas um murmúrio.

éolicas

éolicas

Cuidado, perigo de morte!

Cuidado, perigo de morte!

Eólica imponente

Eólica imponente

Somos minúsculos ao pé

Somos minúsculos ao pé

A paisagem

Não, não se vê o mar de aqui

Não, não se vê o mar de aqui

O relativo sossego da Sicó permite lá passar uma tarde agradavel, repousante (mas cuidado com o vento na mesma), e admirar as paisagens fantásticas de horizontes longínquos. Estamos aqui no ponto mais alto do concelho de Pombal. Cultiva-se principalmente oliveiras, mas muitos agricultores utilizam paredes de pedra para cultivar outras plantas, ao abrigo da erosão, como o milho, por exemplo. Logo ao lado das antenas de telemóvel, existe um pequeno abrigo que permite desfrutar do panorama. Gosto do relógio solar que lá se encontra, mesmo se, por mim, é-me impossível conhecer as horas deste modo.

Este edifício meio construído abandonado seria para ser alguma capela?

Este edifício meio construído abandonado seria para ser alguma capela?

Relógio solar

Relógio solar

Acho que vale a pena vir aqui dar uma volta de buggy, ou, se não tiver vertigens, um pouco de asa delta, existe um clube não muito longe 🙂

Vigia para os inícios de incêndios, ao pé das antenas

Vigia para os inícios de incêndios, ao pé das antenas

Marco geodésico

Marco geodésico

Ilhéu de verdura no meio de uma antiga zona incendiada

Ilhéu de verdura no meio de uma antiga zona incendiada

Ao longe, um outro marco geodésico

Ao longe, um outro marco geodésico

Tags:

3 comentários para “Serra do Sicó, em Pombal”

  1. António dit :

    Muito interessante, obrigado pela partilha!

  2. Rafael Henriques dit :

    Bem verdadeiro!

  3. Teresa Silva dit :

    É uma serra linda, pena que arda tantas vezes! Devia ser reflorestada e mais protegida no meu ver.

Deixar um comentário